Agropecuarista Diego Henrique Lima será julgado hoje, 11, por feminicídio… Ele é acusado de ter matado sua companheira Caillane Raquel Marinho

Acontece na data de hoje, 11, no Fórum de Vianópolis, o julgamento do Agropecuarista Diego Henrique Lima, de 33 anos de idade, suspeito de matar sua companheira Caillane Raquel Marinho, no dia 08 de outubro de 2016, em uma residência do Bairro Santo Agostinho.

Após cometer o crime, Diego evadiu-se do local, tendo-se apresentado ao Delegado de Polícia de Vianópolis, Marcus Vinicius da Costa Júnior, um mês depois.

Diego se apresentou acompanhado de três advogados e disse ao Delegado que, após uma briga, ele teria tentado suicídio com uma arma de fogo, mas que Caillane havia tentado impedi-lo, quando então a arma disparou acidentalmente e a atingindo. Após ouvi-lo, o Delegado deu voz de prisão a Diego, cumprindo mandado expedido pelo Poder Judiciário. Ele ficou preso até o dia 3 de fevereiro de 2017, quando o Tribunal de Justiça lhe concedeu habeas corpus.

Já no dia 11 de fevereiro deste ano, Diego voltou a ser preso e levado para a Unidade Prisional de Vianópolis. Ele foi preso, uma vez que descumpriu medida cautelar, já que deveria se recolher ao seu domicílio até às 21h, mas não foi o que aconteceu, pois se envolveu em um acidente de madrugada em Goiânia, quando dirigia uma caminhonete Hilux que se chocou com um Gol, onde estavam três pessoas, oportunidade em que deixou o local e pediu a um amigo para fazer a retirada da caminhonete, segundo consta no boletim de ocorrência.

Após o acidente, a mulher do condutor do Gol, sabendo ser de Diego a Hilux, pesquisou na internet e descobriu que o mesmo era acusado de feminicídio.

Dias depois, a Promotoria de Justiça de Vianópolis recebeu denuncia anônima sobre o envolvimento de Diego no acidente e pediu sua prisão, pelo descumprimento de medida cautelar.

Hoje, 11 de setembro, quase 3 anos depois do crime, Diego Henrique Lima vai a julgamento popular por homicídio qualificado, por feminicídio, motivo torpe, meio cruel e mediante recurso que tornou impossível a defesa da vítima.

O juiz Leonardo Fleury Curado Dias, da Comarca de Aparecida de Goiânia, tem a missão de presidir o julgamento, uma vez que a juíza de Vianópolis, Marli de Fátima Naves está de licença médica.

A acusação será feita pelo promotor titular de Vianópolis, Lucas César Costa Ferreira contando com o auxílio dos promotores, Julimar Alexandro da Silva e Jean Cléber Cassiano Zamperline.

A acusação será feita por dois advogados, sendo um de Vianópolis e outro de Goiânia.

DIEGO

thumbnail (3)

001

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *